RSS

Arquivos mensais: Maio 2011

E ai, gelo ou bolsa de água quente?

Hoje vou falar sobre uma dúvida que sempre surge durante um tratamento. Não é incomum um paciente, ao iniciar um tratamento, nos questionar diante de um quadro de dor ou inchaço, se ele deve colocar gel ou bolsa de água quente.

Essas dúvidas ficam ainda maiores, se o que fizermos na clínica se contrapor ao que médico disse em consulta.

Calma, eu explico:

Aquela regrinha básica é sempre válida, na hora da lesão (fase aguda) coloca-se gelo; de 48 a 72  horas depois, coloca-se calor.

Mas por quê? – No momento  que você sofre uma lesão, uma entorse de tornozelo  por exemplo, o seu corpo cria um mecanismo de proteção, aumentando a quantidade de líquido sinovial (o inchaço é o acúmulo desse líquido) para que aquela estrutura não se sobrecarregue, pois esse líquido vai proteger a articulação de novas agressões, a partir dai começa também o processo inflamatório( é ai que entra o gelo), o sistema nervoso autônomo (aquele que não temos controle) identifica a lesão e envia  substâncias que fazem o processo de eliminar o agente agressor, e ele faz isso usando substâncias já presentes em nosso corpo previamente autorizadas pelas histaminas( que são substâncias envolvidas nos processos imunológicos do organismo). Só que o corpo não sabe que o agente agressor não está ali; porque no caso de uma entorse de tornozelo a lesão foi provocada por um agente externo, então ele inicia o processo de recuperação do tecido, mas não sabe a hora de parar, continua a aumentando o calibre dos vasos sanguíneos, continua emitindo  o líquido sinovial, continua aumentando a permeabilidade dos vasos, ou seja, continua permitindo que o corpo reaja a um “inimigo” que não está mais lá e é NESSE momento que o fisioterapeuta diz:       PÕE GELO!!!!!.

O gelo vai fazer o a caminho inverso, o frio tem a capacidade de fazer uma vasoconstrição, calma não estou falando grego, isso quer dizer que ele diminui o calibre (grossura) dos vasos sanguíneos, e de todas as estruturas envolvidas nesse processo, inibindo então o processo de inflamação, diminuindo a dor, que estava sendo causada pelo processo inflamatório.

Só que é claro, isso não acontece de uma hora para outra, por isso deve-se repetir o processo dia após dia, até 3 vezes ao dia, por no mínimo 20 minutos a cada aplicação, assim você vai enviar ao seu sistema autônomo uma mensagem implícita dizendo: ESTÁ TUDO OK AGORA, PODE PARAR”

E isso acontece, geralmente em até 48 a 72 horas após a lesão, mas isso nem sempre quer dizer que a inflamação acabou, por que nosso corpo está sempre em movimento, enviando pequenas informações de que as coisas não estão assim tão bem, fazendo com que continue inchando, doendo,  quente, etc. E é ai que entra o fisioterapeuta; ao reavaliar o paciente  ele vai pode dizer se o paciente  deve ou não continuar a colocar gelo. E normalmente temos por base a reclamação do paciente, mensurada normalmente pela dor.

Estabilizando o quadro de dor, apresentando  dores somente durante alguns movimentos, com inchaços episódicos, como por exemplo, ao subir e descer escadas ou durante caminhadas mais vigorosas, o tratamento segue com o intuito de recuperar estruturas lesadas, usando outros recursos da fisioterapia e também exercícios. Não havendo reação inflamatória importante, passamos a usar calor, para promover de uma maneira mais controlada tudo o que tentamos inibir ao colocar o gelo, por que durante o processo de cura precisaremos de oxigenação nos tecidos, de uma maior permeabilidade dos vasos, da vasodilatação dos mesmos, e isso é promovido usando calor.

Entorse de tornozelo agudo

Entendido? Espero ter sido clara, mas se ainda surgirem dúvidas me escrevam.

Ft. Sara Azevedo

Crefito 43.083

 

Anúncios
 
204 Comentários

Publicado por em 28/05/2011 em Fisioterapia

 

Etiquetas: , , ,

Bambolê

Pois é, quem não se lembra das horas que passávamos tentando equilibrar o bambolê na cintura, nas muitas tentativas frustadas de passar ao menos alguns segundos com ele girando? Aliás incansáveis tentativas.

Agora a brincadeira tomou  outro rumo, virou exercício de fisioterapia, e não é difícil entender por que; só quem já tentou sabe o quanto é difícil equilibrar aquela bendita argola gigante em torno da cintura, o que é pior, em movimento; e claro, por um período satisfatório de tempo.

Se você não consegue, não se preocupe, continue tentando. Acontece que para que ele permaneça na cintura girando, é exigido um exercício pélvico muito intenso, eu explico, movimento pélvico é aquele realizado por toda musculatura da região da bacia e quadril,  bem como seus músculos, ligamentos, articulações, etc.

Como toda atividade, para se atingir a perfeição é necessário preparo e treino Os músculos precisam receber estímulos para conseguir realizar o movimento, e para isso é necessário tentar repetidamente.

Você estará, nesse processo, alongando e exercitando os músculos, tornando possível a cada tentativa, o rebolado que deseja. Mas enquanto você não atinge seu objetivo, e se serve de consolo, esses movimentos ajudam a melhorar a flexibilidade muscular, colaboram para o equilíbrio estático e dinâmico,  melhorando a capacidade de se manter em equilíbrio tanto parado quanto em movimento, além de ser uma  brincadeira gostosa, não é mesmo?

E claro, secundariamente, outros benefícios são alcançados como:  melhora do trânsito intestinal, aumento da capacidade do sistema cardiorespiratório, além de exercitar também os músculos do corpo todo, pois com um pouco mais de criatividade entram nessa brincadeiraos músculos das pernas, braços, pés e tc. Tudo isso  usando apenas o bambolê. E de quebra ainda queima umas calorias.

Corra, pegue o seu e comece agora.

Mas atenção, cuidado, se você tem problemas nas regiões que mencionei,seria interessante procurar um médico, pois ele é contra indicado para pessoas com problemas na coluna e quadril, pois essas regiões são muito movimentadas durante o exercício, podendo acarretar em mais lesões. Consulte seu médico e fisioterapeuta.

Feito isso, não tem mais desculpa, é pegar e REBOLAR!!!!!!

Obs: passe o mouse sobre as imagens, e veja algumas curiosidades.

Abraços a todos.

Ft. Sara Azevedo

Crefito 43.083

 
2 Comentários

Publicado por em 05/05/2011 em Artigos

 

Etiquetas: , ,