RSS

Arquivo de etiquetas: Inflamação

DRENAGEM LINFÁTICA

O líquido que se encontra no interstício(, fora das células, será denominado LINFA quando for absorvido pelos capilares linfáticos, como está tão bem representado neste desenho MARA que eu fiz rs

A linfa é composta de nutrientes, resíduos do metabolismo, além de vitaminas e gorduras que serão absorvidos pelo sangue e enviados para seus devidos lugares quando esses forem absorvidos pelos vasos linfáticos. É na linfa que também se encontra os microorganismo que são capturados para que eles não caiam na corrente sanguínea causando doenças. (É desse sistema que estamos falando quando dizemos, ” estava com a imunidade baixa e peguei uma baita de uma gripe). Esses microorganismo são capturados pelos linfonodos, que funcionam como uma espécie de “lixeira”, que fagocitam, “matam” e os eliminam.

Isso acontece todos os dias, estamos propenso às inúmeras doenças, submetidos à micróbios de toda natureza, além dos produtos que ingerimos durante a alimentção, e vai “tudo” para a linfa para ser absorvida pelo sangue ou não.

O sistema linfático é extremamente LENTO, isso mesmo L-E-N-T-O,. O fluxo linfático de um homem adulto fica em torno de 2 a 4 litros/dia* ( então mulherada não adianda querer que a fisioterapeuta se acabe de tanto amassar sua barriga durante a drenagem linfática, isso é coisa da massagem modeladora que abordarei em um outro post). E essa linfa pode ficar “parada” no vaso lnfático por loooongos períodos.

Quando, por algum motivo, esse líquido que está entre as células (vide o desenho) aumenta, ele promove uma pressão no vaso linfático, que abre seus capilares para receber os produtos que ela trás; quando são coisas boas como nutrientes, vitaminas, etc, ótimo,  vão logo para a corrente sanguínea e então distribuída para tecidos e órgão, mas na maioria das vezes não são absorvidos só o que é bom, mas isso depende da alimentação, da sua exposição aos microorganismo, enfim tem a ver com seu estilo de vida.

Em outras vezes, como uma fratura, uma cirurgia, uma alimentação rica em gordura ou  sal, após uma infecção ou uma inflamação etc, esse líquido aumenta tanto, que o sistema linfático não dá conta e acaba por não absorver os ítens necessários, pois o vasos capilares se fecham aumentando ainda mais esse líquido e promovendo o inchaço, que pode ser observável, como uma região inchada, ou não . É nessa hora que a drenagem linfática se faz necessária. (vide outra obra prima minha que pode ser mais explicativa rs)

Fig 1 Um vaso linfático normal, com seus capilares abertos, equilibrado por dentro e po fora

Fig 2 Um vaso linfático “cheio”, capilares fechados, pois já está saturado, e o interstício aumentado produzinho o inchaço que pode ser visível ou não.

A drenagem é realizada em movimentos lentos e suaves na direção dos linfonodos que irão eliminar e pode ser feita de várias maneiras

1. Movimentos circulares fixos, ou seja, a pressão é de cima para baixo, sem mover o polegar da pele

2. Movimentos circulares alternados onde se exerce a pressão movendo os dedos na pele, conduzindo a linfa. (vide figura)

 

3. Pressão em bracelete: com pressão intermitente (aperta devagar e soltar) conduzinho também a linfa, e dependendo da região usa-se as duas ou uma mão.

As manobras são realizadas no mesmo local em média de 5 a 7 vezes, coitado o sistema linfático é lento lembra?

Quem vai receber essas linfa e fazer a limpeza necessária são os linfonodos, que estão distribuído por todo o nosso corpo, presentes principalmente próximos às articulações como: tornozelo, atrás do joelho, na virilha, punhos, cotovelos, axilas, em cima da clavícula, atrás da orelha (mulheres quando usamos um brinco e ele inflama já repararam que fica um nódulinho atras do lobo da orelha, então, é o linfonodo que captou o agente inflamatório e logo o iliminará). Existem muiiitos outros, mas esses são os principais.

Durante a drenagem, mas precisamente antes de começar, é necessário esvazià-los, drená-los para eles poderem filtrar as “novas” linfas que enviaremos através da drenagem, e isso deve ser feito com movimentos circulares de pressão por alguns poucos minutos em cada região que for drenada, depois  VOILÁ, só começar a drenagem.

E às vezes pode bater aquela vontade de ir ao banheiro durante a drenagem, então, atenda o chamado da natureza e elimine as impurezas.

IMPORTANTE RESSALTAR AS CONTRA INDICAÇÕES DA DRENAGEM

– CÂNCER (SUSPEITA OU EM TRATAMENTO

– FEBRE

– ERUPÇÕES NA PELE

-PROCESSOS INFECCIOSOS

– INSUFICIÊNCIA CARDÍACA

Isso por que a drenagem aumenta a circulação linfática e sanguínea, e os agentes que causam algumas das alterações acima estão presente no interstício e a drenagem pode fazer eles circularem e cair na corrente sanguínea, ser distibuída pelo corpo e tecidos. Então, JAMAIS façam nessas circunstâncias.

É isso, e se precisarem de drenagem linfática estou aqui.

Relembrando que não precisa ter algum problema para fazer drenagem, 2 a 3 vezes na semana é ótimo para ajudar o corpo a eliminar toxinas e promover a saúde do corpo, e ajuda bastante beber bastante água, ajuda a deixar a linfa mais líquida e mais fácil de ser eliminada.

É isso

Abraços

Ft. Sara Azevedo

CREFITO 43.083

 

 

 

 

 

 

* Drenagem linfática manual corporal – Denise Rodrigues Ribeiro

 

Anúncios
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 28/03/2012 em Fisioterapia

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , ,

LASER

O laser  é a luz amplificada por emissão estimulada de radiação de ondas eletromagnéticas (Light Amplification by Stimulated Emission of radiation)

Ele pode ser classificado em

– Laser de baixa potência: terapêutico (usado em fisioterapia)

– Laser de lata potência – cirúrgico

O laser libera uma quantidade  de fótons (partícula eletromagnética) que são em parte repelidos ao tentar penetrar o tecido. O restante é absorvido, em grande parte pela epiderme e pela derma. A energia absorvida  converte-se e provoca efeitos locas e à distância.

Tem como principais efeitos terapeuticos no APARELHO LOCOMOTOR:

– Localmente reduz a inflamação   e promove a absorção do líquidos provocados por ela e favorece a eliminação de das substâncias que causam dor.

– Atua sobre as fibras nervosas grossas, provocando bloqueio das fibras que geram a dor.

– Estimula a produção das beta-endorfinas, que aliviam a dor

– É antiinflamtório, previne o edme e é um normalizador circulatório

– Ele é uma ótimo redutor de contratura muscular

– Acelera o processo de cura e melhora a qualidade da cicatrização

– Evita a formação de aderências e quelóides

– Melhora  a recuperação funcional, juntamente com efeito antiálgico

Em ARTRITE REUMATÓIDE,

– Reabsorve o edema  e diminui a inflamação

Em DERMATOLOGIA E ESTÉTICA:

Pode ser usada em: acnes, verrugas, flacidez, cicatrizes, úlceras e queimaduras

Mas CUIDADO…

NUNCA DEVE SER USADO NA RETINA, EM CÂNCERES E PROCESSOS BACTERIANOS AGUDOS

E deve ter cuidado ao ser usado em pacientes: com marcapasso, epilepsia, gravidez, disfunções tireoideanas, arritmias cardíacas e tratamentos com drogas fotossensibilizantes.

PRECAUÇÕES

SEMPRE USAR ÓCULOS ESCUROS  TANTO PARA O TERAPEUTA QUANTO PARA O PACIENTE

CUIDADO COM LOCAIS  COM ESPELHO OU OBJETOS DE BRILHO METÁLICO

USAR EM AMBIENTE VENTILADO

OBS: O funcionamento do laser é complexo para , mas espero ter ajudado um pouco.

Ft. Sara Azevedo

CREFITO 83.043

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 23/02/2012 em Fisioterapia

 

Etiquetas: , , , , , , , ,

E ai, gelo ou bolsa de água quente?

Hoje vou falar sobre uma dúvida que sempre surge durante um tratamento. Não é incomum um paciente, ao iniciar um tratamento, nos questionar diante de um quadro de dor ou inchaço, se ele deve colocar gel ou bolsa de água quente.

Essas dúvidas ficam ainda maiores, se o que fizermos na clínica se contrapor ao que médico disse em consulta.

Calma, eu explico:

Aquela regrinha básica é sempre válida, na hora da lesão (fase aguda) coloca-se gelo; de 48 a 72  horas depois, coloca-se calor.

Mas por quê? – No momento  que você sofre uma lesão, uma entorse de tornozelo  por exemplo, o seu corpo cria um mecanismo de proteção, aumentando a quantidade de líquido sinovial (o inchaço é o acúmulo desse líquido) para que aquela estrutura não se sobrecarregue, pois esse líquido vai proteger a articulação de novas agressões, a partir dai começa também o processo inflamatório( é ai que entra o gelo), o sistema nervoso autônomo (aquele que não temos controle) identifica a lesão e envia  substâncias que fazem o processo de eliminar o agente agressor, e ele faz isso usando substâncias já presentes em nosso corpo previamente autorizadas pelas histaminas( que são substâncias envolvidas nos processos imunológicos do organismo). Só que o corpo não sabe que o agente agressor não está ali; porque no caso de uma entorse de tornozelo a lesão foi provocada por um agente externo, então ele inicia o processo de recuperação do tecido, mas não sabe a hora de parar, continua a aumentando o calibre dos vasos sanguíneos, continua emitindo  o líquido sinovial, continua aumentando a permeabilidade dos vasos, ou seja, continua permitindo que o corpo reaja a um “inimigo” que não está mais lá e é NESSE momento que o fisioterapeuta diz:       PÕE GELO!!!!!.

O gelo vai fazer o a caminho inverso, o frio tem a capacidade de fazer uma vasoconstrição, calma não estou falando grego, isso quer dizer que ele diminui o calibre (grossura) dos vasos sanguíneos, e de todas as estruturas envolvidas nesse processo, inibindo então o processo de inflamação, diminuindo a dor, que estava sendo causada pelo processo inflamatório.

Só que é claro, isso não acontece de uma hora para outra, por isso deve-se repetir o processo dia após dia, até 3 vezes ao dia, por no mínimo 20 minutos a cada aplicação, assim você vai enviar ao seu sistema autônomo uma mensagem implícita dizendo: ESTÁ TUDO OK AGORA, PODE PARAR”

E isso acontece, geralmente em até 48 a 72 horas após a lesão, mas isso nem sempre quer dizer que a inflamação acabou, por que nosso corpo está sempre em movimento, enviando pequenas informações de que as coisas não estão assim tão bem, fazendo com que continue inchando, doendo,  quente, etc. E é ai que entra o fisioterapeuta; ao reavaliar o paciente  ele vai pode dizer se o paciente  deve ou não continuar a colocar gelo. E normalmente temos por base a reclamação do paciente, mensurada normalmente pela dor.

Estabilizando o quadro de dor, apresentando  dores somente durante alguns movimentos, com inchaços episódicos, como por exemplo, ao subir e descer escadas ou durante caminhadas mais vigorosas, o tratamento segue com o intuito de recuperar estruturas lesadas, usando outros recursos da fisioterapia e também exercícios. Não havendo reação inflamatória importante, passamos a usar calor, para promover de uma maneira mais controlada tudo o que tentamos inibir ao colocar o gelo, por que durante o processo de cura precisaremos de oxigenação nos tecidos, de uma maior permeabilidade dos vasos, da vasodilatação dos mesmos, e isso é promovido usando calor.

Entorse de tornozelo agudo

Entendido? Espero ter sido clara, mas se ainda surgirem dúvidas me escrevam.

Ft. Sara Azevedo

Crefito 43.083

 

 
204 Comentários

Publicado por em 28/05/2011 em Fisioterapia

 

Etiquetas: , , ,